Quem somos

quemsomos
A Santa Casa da Misericórdia é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, fundada em 1921 para assumir a propriedade e gestão do hospital desta cidade. Apesar da primazia da área da Saúde no primeiro meio século da instituição, o apoio à terceira idade e infância não foram descurados, criando-se um “Recolhimento para Velhos” e um “Asilo-Escola” para crianças órfãs e abandonadas.

A partir da 1975 dedicou a sua acção social para sectores tradicionais Apoio Social, sendo hoje, a área da terceira idade e a área da infância e juventude as vertentes maiores de intervenção.

Missão

A Santa Casa da Misericórdia é hoje uma instituição que faz parte da identidade da comunidade de S. João da Madeira, tendo como missão, prover a necessidades da comunidade local, traduzindo pela acção social, educacional e de saúde, a doutrina e moral cristã, e promovendo a qualidade de vida das pessoas, prioritariamente daquelas em risco social.

Valores

CENTRADA NA PESSOA – procura responder às necessidades específicas de cada pessoa, no respeito pela sua individualidade, dignidade e autonomia.

PRIORIDADE AOS MAIS VULNERÁVEIS E EXCLUÍDOS – orientação para a protecção de pessoas e grupos vulneráveis, fornecendo recursos e fomentando competências propiciadoras da participação e da inclusão social.

PRÓ-ACTIVIDADE – atenção às dinâmicas sociais do território identificando riscos (necessidades sociais) e oportunidades sobre os quais possa desenvolver uma acção preventiva e/ou empreendedora.

QUALIDADE – promoção da melhoria contínua nos processos e serviços.

COMPROMETIMENTO COM A COMUNIDADE – enraizamento da intervenção no contexto social local, seja na captação de recursos seja na responsabilidade perante as dinâmicas e desafios do território

IDENTIDADE PRÓPRIA E ESTABILIDADE – valorização da matriz histórica e da tangibilidade da nominação e simbologia “Santa Casa da Misericórdia”, da respectiva perenidade e sustentabilidade.

SOLIDARIEDADE/ RECIPROCIDADE – observância dos princípios da redistribuição e da equidade (de classe, género e geração) como primado da orientação da gestão e intervenção social.

RESPONSABILIDADE SOCIAL – prestação de contas (social, económica e ambiental), transparência e mensurabilidade do valor social da actividade desenvolvida.